• Viviane Chow

Qual a diferença entre o vinho orgânico, biodinâmico, natural ou vegano?

O vinho orgânico é cultivado sem produtos químicos, os enólogos e responsáveis tendem a seguir em desenvolvimento autossustentável. Sempre respeitando o meio ambiente e colaborando com o processo de conscientização aos consumidores.


Já o biodinâmico, tem todo o procedimento do orgânico em conjunto com a filosofia antroposófica, projeto desenvolvido pelo austríaco Rudolf Steiner desde o ano 1924. O procedimento de vinificação é liderado de acordo com as fases da lua ou posição dos planetas. Tem a mínima interferência do homem.


O natural traz a cultura orgânica muitas vezes em conjunto com a biodinâmica e além disso os vinhos são elaborados com leveduras naturais ou indígenas. Os produtores buscam resgatar o que há de melhor no solo. Normalmente são vinhos que não passam em barricas, mais naturais possíveis, zero uso de Sulfito - Anidrido Sulforoso INS 220 - o conservante utilizado na maioria dos rótulos. Até o processo de clarificação, alguns enólogos pulam essa etapa, gerando vinhos mais turvos e com aromas mais rústicos.


Uma nova tendência inspirada nos defensores dos animais são os vinhos veganos, que além de todo o cuidado com o solo e meio ambiente, o vinho é produzido sem nenhum componente animal. Normalmente no processo de clarificação é utilizado para filtrar os resíduos produtos como albumina (presente na clara do ovo), gelatina (proteína animal) e a caseína (proteína do leite). Já os vinhos veganos encontram soluções vegetais e minerais para essa fase.


Esses tipos de vinhos citados, geralmente têm selos e certificados indicando nos rótulos cada tipo de procedimento. Devido ao sistema vagaroso burocrático brasileiro, nem todos os produtos importados tem autorização, porém muitos são considerados referência no mundo dos vinhos. Os agrotóxicos surgiram desde a Primeira Guerra Mundial, como um tipo de arma química na época, depois foi adaptado com dosagens menores para a ampliação das produções. Resumindo, percorrer pelo caminho dos “Orgânicos & Cias” é seguir pela evolução de uma forma mais segura, inteligente e melhor para o planeta.


Segue 10 Dicas de Vinhos considerados mais humanizados e respectivamente mais saudáveis. Fonte segura!


· Masi Tupungato Bianco 2019. Produzido com as variedades Pinot Grigio e Torrontés. Tem aromas refrescantes de pêssego, frutas tropicais, damasco seco e flores brancas. Harmoniza bem com saladas, peixes, carnes brancas, vegetais grelhados, comida oriental, etc. Valor: R$ 106,00


· Masi Tupungato Doble 2016. Um blend de Malbec e Corvina. Tem notas de frutas vermelhas, chocolate, especiarias e taninos aveludados. Passa 9 meses por barricas de carvalho francês. Fica excelente com queijos, legumes refogados, pizza, tradicionais empanadas argentinas e carnes. Valor: R$ 126,00


Ambos vinhos são orgânicos e veganos, com selos certificados, produzidos pela prestigiada vinícola italiana Masi na sede em Mendoza - Argentina. Importados pela Épice. www.epice.com.br




· Las Niñas Ella Chardonnay Reserva 2017. Fresco com aromas de flor de laranjeira, herbáceos e frutas cítricas. Passa por 8 meses em estágio. Combina bem com peixes, massas, frutos do mar, queijos cremosos. Valor: R$ 135,00

· Las Ninãs Inocencia 2016. Uma mescla das variedades Syrah e Carménère. Um vinho estruturado e elegante. Harmoniza com pratos tradicionais chilenos, queijos, pratos vegetarianos mais cremosos picantes, e carnes assadas. Valor: R$ 97,00

Os dois vinhos são produzidos no Chile pela vinícola orgânica Las Niñas comandada por mulheres. Vinhos garimpados pelo sommelier especialista em orgânicos Rudá Serra, @señorvino.



· Château Les Aubiers 2016. Um Bordeaux orgânico com taninos macios, oferece aromas de frutas vermelhas frescas e especiarias. Elegante e versátil, harmoniza bem com entradas leves, vegetais grelhados, talharim de abobrinha ao pesto, pizza de manjericão e comida tailandesa. Recomendado decantar por uma hora. Valor: R$ 119,00

· Château Le Grand Moulin 2016. De cultivo orgânico, esse seleto Bordeaux vem da Côte de Blaye, próximo a margem direita entre St. Emilion e Pomerol, região de excelentes vinhos. Aromático com realce nas notas de chocolate, frutas vermelhas maduras e especiarias. A dica é acompanhar com entradas leves, queijos, legumes, magret de pato, entre outros. Valor: R$ 129,00

Vinhos importados pelo e-commerce Sonoma. www.sonoma.com.br



· Montes Outer Limits Sauvignon Blanc 2018 - Elegante com aromas duradouros de frutas cítricas e tropicais. Tem uma agradável mineralidade. Fica perfeito com queijo de cabra, legumes, saladas, peixes grelhados, frutos do mar, aves e carnes magras. Um vinho produzido pela premiada Viña Montes no Chile, a vinícola foi adaptada com base nos estudos e práticas do “Feng Shui”, vale a visita inclusive. Valor: 273,90

· Côtes du Rhône Belleruche Rouge 2018 - Vinho com produção do genial Michel Chapoutier, eleito na França diversas vezes o melhor enólogo do ano. São vinhedos cultivados de forma orgânica, biodinâmica e colheita manual. Com refinamento este vinho de alta qualidade traz um corte de Grenache e Syrah. Fica delicioso com pratos vegetarianos leves, carnes grelhadas, costeletas de cordeiro, pato e avestruz. Valor: R$ 208,03

Duas das relíquias importadas pela Mistral. www.mistral.com.br



· Barton e Guestier Passeport Bordeaux Rouge 2016. Um vinho orgânico vegano sofisticado, apresenta aromas de frutas vermelhas com notas sutilmente mentoladas e tostadas. Combina com queijos fortes, legumes grelhados, carnes vermelhas, carnes de caça, risoto de cogumelos, massas com molhos cremosos. Valor: R$ 166,90

· Louis Jadot AOC Chablis 2017. A vinícola apresenta um dos melhores “Terroirs” da região, utilizando leveduras naturais, presentes nas cascas das uvas como diferencial. Este vinho foi produzido com a variedade Chardonnay e passa por amadurecimento em barricas de carvalho francês entre 9 a 12 meses. Traz notas de frutas tropicais, cítricas, minerais e florais. Dicas enogastronômicas: ostras, legumes grelhados, peixes, mariscos, aves e queijo de cabra. Valor: R$ 481,90

Esses 2 vinhos sugeridos fazem parte da criteriosa seleção da importadora Interfood. www.todovino.com.br



Fica mais uma sugestão para quem quiser se aprofundar nesse tipo de vinho: participar da Feira Naturebas que acontece do dia 01 a 30 de novembro em sua versão on line, devido às circunstâncias do novo coronavírus, tomando os cuidados necessários. O evento já em sua 8ª edição é organizado pela chef Lis Cereja, proprietária da “Enoteca Saint VinSaint”, pioneira nesse percurso. Em conjunto com seus parceiros, a feira irá acontecer durante o mês inteiro, onde terão apresentações dos produtores, promoções, palestras, cursos entre outras atividades. Para mais informações acesse o site: www.feiranaturebas.com.br.


“Todo mundo acha que vinho é só suco de uva fermentado, mas faz tempo que não é mais. Além de uma agricultura convencional invasiva, são centenas os aditivos e técnicas enólogas empregados na vinificação para modificar, adequar e padronizar o vinho de acordo com as regras de mercado. “ Lis Cereja

Matéria by Viviane Chow - Profissional no setor “Vinhos” desde 2009, atuando como empresária, consultora, colaboradora, colunista e produtora de eventos.

©2019 by Vinho e Gastronomia. Proudly created with Wix.com