• Guto Martinez

Viña Los Boldos se reinventa

Uma empresa familiar precisa enfrentar um grande desafio quando busca uma atualização, seja dos produtos, seja da forma como faz seus negócios, e com a Viña Los Boldos, a questão não foi diferente, mas os resultados começam a comprovar que todo esforço valeu a pena.


A transição que a Viña Los Boldos ainda passa tem como personagens centrais uma pessoa e uma empresa. A empresa é a gigante portuguesa Sogrape, que passou a controlar a vinícola em 2008, e concedeu uma musculatura que foi necessária na implementação de mudanças de base que mesclou a herança europeia com as raízes e experiência chilena.

Não à toa, a mudança coincidiu com a chegada do primeiro diretor chileno da vinícola, Sebastián Philips Montes, que conta com uma passagem pela Concha y Toro, e que apresentou os vinhos no Brasil com Victor Arce, atual enólogo que também é o primeiro do Chile a ocupar o cargo na casa.


Estas alterações resultaram numa mudança na filosofia estratégica da vinícola, que foi adquirida pela Sogrape devido à homogeneidade dos vinhedos apresentados. Com a substituição de praticamente um quarto dos vinhedos, a Los Boldos se torna uma empresa de caráter mais familiar, e que produz exclusivamente com uvas próprias e na própria vinícola

Entre as novidades que devemos ter em breve está o Amália, novo ícone da Los Boldos e cujo nome remete à esposa do fundador da Sogrape, além de ser um dos nomes que mais remete à nação lusitana. A homenagem, claro, é justa: a elegância dos vinhos permite dizer que os dois lados só tiveram a ganhar nesta parceria, para a sorte dos enófilos de todo o mundo.


Notas de Degustação


Tradition Réserve Sauvignon Blanc

Coloração amarelo claro com ligeiros reflexos esverdeados. O paladar traz predominância de frutas tropicais e amarelas (maracujá, carambola) com ligeiro vegetal (grama cortada). Em boca, nota-se uma sensação frisante rápida, com muita refrescância e predominância de frutas tropicais, com alguma salinidade. Um vinho descomplicado, agradável e muito adequado ao nosso verão.


Tradition Réserve Chardonnay

Em taça, coloração amarelo palha brilhante, muito límpido. O nariz remete a pêssegos frescos, papaia e flores brancas com um fundo de resina numa combinação muito agradável. A boca é refrescante, com alguma persistência, com ligeira untuosidade. Um vinho que agrada facilmente quem busca refrescância e elegância.


Tradition Réserve Cabernet Sauvignon 2016

A coloração rubi com reflexos violáceos encontra aromas de frutas vermelhos a princípio, mineralidade (xisto) e algum vegetal, mas de uma maneira muito delicada. A boca traz taninos bem domados, boa acidez, persistência média e final limpo e agradável. Ótima opção de varietal Cabernet Sauvignon na sua faixa de preço.


Grande Reserve Carmenère

Com coloração violácea mais intensa, possui uma ligeira turbidez, o que não prejudica a beleza e elegância do vinho. O nariz traz frutas negras, cacau, especiarias e mineralidade (pedra de isqueiro), com algum vegetal que remete a pimentão vermelho, típico da uva. A boca é fresca, persistente e com taninos marcantes e agradáveis. Suculento, possui bom potencial gastronômico.


Grande Réserve Cabernet Sauvignon

A taça é de rubi violáceo intenso, mais transparente que o Carmenère. O nariz é primariamente de frutas negras (cerejas, cassis) e vermelhas (framboesas), com especiarias, fumo de corda. A boca é muito viva, com ligeira picância, boa persistência e presença das frutas. Taninos presentes e bem refinados com acidez elevada, equilibrado e bem agradável. Um ótimo vinho que demonstra a vocação chilena lara esta uva.




0 visualização

©2019 by Vinho e Gastronomia. Proudly created with Wix.com