• Guto Martinez

Mulheres e vinhos: está na hora de quebrar paradigmas

Pesquisa revela que 80% das brasileiras acreditam que o mundo dos vinhos é machista.

“Mulher e vinho rosé é uma combinação perfeita”. “Leva um espumante para a esposa”. “Esse vinho é muito forte para elas”. Clichês. Como em qualquer segmento, o mundo do vinho está cheio deles, especialmente quando se trata da relação entre mulheres e vinhos.

Não há problema algum em apreciar um bom vinho rosé ou se refrescar com um belo espumante. Mas usar de estereótipos para definir gostos e preferências baseados apenas no gênero é algo retrógrado que foge totalmente da realidade.


Em recente pesquisa com mulheres profissionais do ramo de vinhos, realizada por Marcelo Copello, um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, 80% das 500 mulheres entrevistadas em todo o Brasil acreditam que o mundo dos vinhos é machista.

Em face dessa realidade, muitas empresas têm voltado seus esforços para mudar esse cenário. É o caso da MMV, importadora de vinhos de Curitiba, que está realizando uma forte campanha para quebrar o paradigma de que “vinho forte é coisa de homem”, reforçando que dentro do seu portfólio de vinhos não existe “vinho de homem” e “vinho de mulher”.


Como o mês de março é dedicado às mulheres e é quando são realizadas diversas ações em prol do empoderamento feminino, a MMV selecionou alguns rótulos de vinhos bem encorpados e enviou para algumas influencers do meio do vinho para que elas pudessem dar o seu aval.


Elas provaram vinhos encorpados. Veja o resultado:

Thaís Lazzarini começou a explorar o mundo dos vinhos após uma viagem ao Porto, famosa cidade portuguesa por seus vinhos requintados. No seu canal Vita in Vino, ela dá dicas de rótulos, restaurantes e vinícolas de uma maneira descomplicada. Ela recebeu o Krontiras Family Selection Petit Verdot e achou o vinho bem surpreendente, trazendo à tona a influência da mineralidade típica de Luján de Cuyo, sendo uma ótima escolha democrática para vários paladares.


“Temos mulheres fantásticas que estão cada vez mais dispostas a nos ensinarem nessa caminhada mágica de aromas e sabores. Nunca tenham medo de começar, descobrir rótulos novos e aprender cada vez mais sobre vinhos.”


Já Cláudia Taverna, do canal Experiências Inspiram, transformou o amor pelos vinhos, adquirido em viagens e degustações, em projeto de vida. O Krontiras Aglianico, seu vinho escolhido, realmente causou uma ótima impressão por ser “forte como toda a mulher guerreira e de personalidade”. Com um perfeito equilíbrio entre acidez, taninos e corpo, com bastante presença, é um vinho ideal para celebrar a semana do empoderamento feminino, movimento que merece nossa atenção e que muito inspira!


“Ousem, explorem novas possibilidades, provem vinhos diferentes, estejam abertas para irem além do branquinho leve, rosé e espumante moscatel. O mundo do vinho é imenso e precisa ser explorado. Busquem vinhos que mais agradem o seu paladar.”


Por fim, Ana Carla Wingert, do Gastrorose, ficou incumbida de apreciar o Krontiras Tempranillo e ressalta que o que mais chamou a atenção foi a presença e estrutura do vinho, assim como sua intensa cor rubi que lhe confere um aspecto formidável. Há 5 anos se dedicando a experimentar, pesquisar e estudar sobre o assunto, ela é fascinada pela cultura do vinho e diz que cada garrafa traz uma história, uma emoção. "Mulheres, não tenham medo de experimentar! Explorem o mundo dos vinhos. Posso dizer, com segurança, que experimentar proporciona a descoberta de um horizonte maior, a construção de novas memórias e aprendizados", diz Ana Carla.


Elas no comando de vinícolas

O sommelier Jonas Martins, diretor comercial da MMV, diz que a escolha por rótulos da Bodegas Krontiras para a ação com as mulheres não foi aleatória. “A Bodega Krontiras, da famosa região de Mendoza, na Argentina, além de ser toda especial por seguir os preceitos de produção biodinâmica, é comandada por uma mulher, uma famosa enóloga que cria vinhos de muita qualidade e presença.”


Nascida em uma família de enólogos, Maricruz Antolin está à frente da Bodegas Krontiras desde 2008, quando se formou em agronomia. Adepta às ideias de Rudolf Steiner, ela aplica na produção dos vinhos Krontiras todos os conceitos de biodinamismo, onde a vinícola é um sistema vivo livre de “más energias”, com presença de animais soltos pelos vinhedos, cultivo natural das uvas e produção livre de agentes artificiais.


Maricruz, mulher que comanda a vinícola Krontiras, com a mão na massa, ou melhor, nas uvas: ela refuta qualquer ideia de “segregação sexista” no mundo dos vinhos.

“Gostaria de saudar todas as mulheres brasileiras e do mundo e agradecê-las por desfrutarem de nossos vinhos. Para mim não existe “vinho de mulher” e “vinho de homem”, pois cada um bebe o vinho que mais gosta. Ser mulher no mundo do vinho é uma questão de se posicionar e ganhar o seu lugar”, diz a enóloga.


Além dos rótulos da Krontiras, Jonas Martins também destaca alguns outros vinhos da MMV, como o Inusuale, o Indaco e Intrigo, todos da vinícola italiana Inserrata, e o Carinae Cuveé Brigitte, da Carinae Viñedos Y Bodega, novidade no portifólio da MMV. O nome do vinho faz menção à Brigitte Subra, proprietária da vinícola.




8 visualizações

©2019 by Vinho e Gastronomia. Proudly created with Wix.com