• Guto Martinez

Marchesi de’ Frescobaldi: vinho com História

Uma competente vinícola cuja trajetória se mistura à própria História


Imagine uma vinícola estabelecida há setecentos anos na capital daquela que é uma das mais famosas regiões do mundo, a Toscana, e cujos proprietários estão já na trigésima geração. Pois esta é a Marchesi de’ Frescobaldi, um nome tão tradicional que é possível analisá-la através de livros de história.


Não à toa, pode-se dizer que este é um vinho digno de reis: desta vinícola saíram garrafas que abasteceram a Corte de Henrique VIII, no séc. XVI, e até hoje os Frescobaldi são os únicos convidados italianos aos casamentos da Família Real Britânica.


Portanto, não é de se estranhar que seus vinhos, alguns tradicionais e outros resultado de grandes parcerias e experiências, traduzem as melhores características dos terroir de suas cinco casas, cada uma tratada de maneira quase independente: Castelo di Nipozzano, Castelo di Pomino, Tenuta di Castelgiocondo, Tenuta di Castiglioni e Tenuta dell’Amiraglia. Recentemente adquirida pelos Frescobaldi de outra família tradicional, a Attems é a única fora da região toscana, localizada no Colio.


Para nossa sorte, os vinhos chegam ao Brasil pela importadora Ravin, e certamente não podem faltar numa adega de respeito. Cada um com suas particularidades, prometem impressionar não apenas pela belíssima trajetória, mas também pelo conteúdo das garrafas, sempre maravilhoso. Encantador!


Notas de Degustação


Rèmole Bianco IGT 2012 – Composto por 80% de Trebbiano e 20% de Vermentino, este refrescante vinho branco é delicado e floral, e apresenta frutas brancas no aroma. Em boca, é muito fresco, com acidez equilibrada e boa persistência. !+


Attems Ramato Pinot Grigio 2012 – Único vinho de fora da Toscana, impressiona primeiramente pela cor de casca de cebola, alaranjada, incomum para um varietal dessa uva. Com quatro meses em carvalho, os aromas de flores se somam a frutas vermelhas frescas e cascas de cítricos. Em boca, é bastante fresco e equilibrado, mas bastante suave. Seu teor alcoólico de 13% parece pedir um legítimo antepasto italiano. !!


Rèmole IGT 2013 – Vinho de entrada da casa, feito de 85% Sangiovese e 15% Cabernet Sauvignon, sem passagem em madeira. O resultado é um vinho repleto de frutas vermelhas maduras no nariz, como groselha e framboesa, e em boca com acidez gastronômica, vivacidade, picância e boa persistência, com um teor alcoólico razoavelmente baixo. !!


Nipozzano Riserva Chianti Rufina DOCG 2008 – Não se engane, este Chianti é um vinho superior e muito estruturado! Aromas bastante expressivos e com certa complexidade, com ameixas, amoras, mirtilos, especiarias, baunilha. Em boca, é bastante equilibrado e elegante, taninos discretos e acidez gastronômica. Muito bem avaliado, é definitivamente um ótimo acompanhante para pratos típicos da região. !!+


CastelGiocondo Brunello di Montalcino DOCG 2007 – Um vinho clássico e muito equilibrado, este Brunello apresentou um aroma floral e notas de couro muito elegantes. Em boca, tem uma excelente persistência e estrutura, com taninos bastante redondos e ótima persistência. !!!


Mormoreto IGT 2008 – Uma das grandes surpresas da noite, este vinho é bastante complexo e requer um bom tempo de decantação antes de ser apreciado em sua plenitude. Os aromas de frutos silvestres encontram notas de baunilha, cacau e café, e em boca é muito aveludado, encorpado e equilibrado, com final bastante persistente. Um magnífico presente da Itália. !!!+


Lucente IGT 2011 – Elaborado em parceria com Robert Mondavi, este vinho é produzido em Montalcino com 75% de Merlot e 25% de Sangiovese. Um vinho moderno e vivaz, com aromas complexos de frutas vermelhas, como cereja e framboesa, além de notas de eucalipto e especiarias. Em boca é bastante macio, elegante e jovem, claramente um vinho moderno. !!!

9 visualizações

©2019 by Vinho e Gastronomia. Proudly created with Wix.com